segunda-feira, 11 de Junho de 2012

Administração Convento Santa Clara


Em1896, o Estado cedeu o mosteiro ao Instituto das Franciscanas Missionárias de Maria, que abriram os espaços da igreja e dos claustros oculto e ao acolhimento do povo.
Em 1910, os acontecimentos políticos que ocorreram em Portugal não permitiram que as religiosas continuassem e tiveram que sair de Portugal. Com a implantação da Republica foi publicado o decreto da expulsão dos religiosos.
Por decretos de 1912 3 1913, o governo concedeu os edifícios do mosteiro à Câmara Municipal e à Associação de Beneficência " Auxilio Maternal" para os fins indicados no mesmo decreto.



Para este efeito demoliram-se partes consideráveis do antigo mosteiro e praticaram-se atos de verdadeira destruição e vandalismo em todos os edifícios sem se realizar obra alguma.


Por não se ter preenchido o fim especial da concessão o Estado tornou a tomar posse do Mosteiro de Santa Clara.
Pelo Decreto de 25 de Janeiro de 1927 e 12 de Junho do mesmo ano, o Ministério das Finanças autorizou ceder ao então Ministério das Colónias as diversas dependências do extinto mosteiro. A direção foi então entregue às Franciscanas Missionárias de Maria, que em 1928 voltaram pela segunda vez com um objectivo bem determinado, ou seja, estabelecer uma escola secundária para formar religiosas para enviar às missões do Ultramar e ainda um infantário e ensino primário, acolhendo cerca de 400 crianças.
Embora encontrassem as instalações muito degradadas e em mísero estado de conservação, souberam ultrapassar as dificuldades com a ajuda do bom povo madeirense, em especial, do senhor Doutor Romano de Santa Clara Gomes.

Desde 1943, este edifício de grande valor historio e patrimonial da cidade do Funchal é classificado como Monumento Nacional.


sábado, 2 de Junho de 2012

Átrios Convento Santa Clara


No Convento podemos visitar: o Átrio, a Capela de São Gonçalo de Amarante, possivelmente edificada no século XVI, o Alpendre de acesso aos Coros e Claustro

Portão para o Convento


O portal principal, uma construção gótica, é aberto na parede lateral, de acordo com a tipologia construtiva da ordem das freiras clarissas. Compõe-se o portal por duas arquivoltas seguidas de colunelos capitelizados com ornatos de cariz vegetalista. Um pequeno friso de azulejos do século XVIII, sobrepujado de singelas janelas, completa a fachada.


terça-feira, 24 de Abril de 2012

Coro de Cima

















O Coro de Cima é profundamente marcado pela presença dos magníficos exemplares de azulejos Hispano-Árabes e diversas imagens nomeadamente de Cristo e da Virgem.


                         

                      

Coros Convento Santa Clara


No coro baixo, amplo e gradeado, para além do discreto cadeiral, existe um órgão do século XV e uma escultura barroca de Cristo crucificado.


Torre Convento Santa Clara




A torre é marcada por cornijas e rasgada nos andares superiores por janelas, enquanto o inferior apresenta olhais; a sua cobertura é feita por cúpula de oito faces, forradas de azulejos.







A fachada de Santa Clara mostra uma torre erguida no período maneirista. De planta quadrangular dividida em três andares com alturas desiguais.

quarta-feira, 18 de Abril de 2012

Edifícios do Convento Santa Clara



O conjunto de edifícios do convento de Santa Clara é uma verdadeira joia patrimonial, não só pela qualidade do seu recheio, mas principalmente porque, sendo um edifício dos finais do século XV, conseguiu chegar aos dias de hoje com a mesma missão que originou a sua criação há 500 anos atrás: um convento de freiras Franciscanas. Este convento foi fundado nos finais do século XVI pelo segundo capitão do Funchal, João Gonçalves da Câmara e começou a ser construído à volta da capela de N.ª S.ª da Conceição, que foi sendo progressivamente ampliada.


                  



Este tipo de convento teve um papel social muito importante nos séculos XVI e XVII. Para os nobres que se encontravam longe a prestar serviços reais, os conventos representavam uma segurança essencial para as suas filhas, até que se arranjasse um casamento conveniente. Por outro lado, para as viúvas, abrigar-se num convento onde frequentemente tinham família era, não só a segurança desejada aos níveis moral e religioso, mas                   principalmente ao nível económico. 

segunda-feira, 9 de Abril de 2012

Igreja Nª Sª da Conceição



            

 A igreja de N.ª S.ª da Conceição passou por várias modificações e foi parcialmente destruída pelo bombardeamento de 1917.Apresenta também um vasto tapete de a igreja de N.ª S.ª da Conceição passou por várias modificações e foi parcialmente destruída pelo bombardeamento de 1917.Apresenta também um vasto tapete de azulejos do século XVIII, que representa o famoso padrão de Santa Clara. À entrada encontra um importante túmulo Gótico dos finais do século XV. 


Uma Crucificação é o tema narrado pela pintura inserida sobre o arco triunfal, onde elementos rocaille revestem a moldura de linhas classicizantes. A cobertura é de madeira, tripartida, formada por caixotões que encerram decoração simbólica envolta por cartelas.  No altar-mor encontramos a mesma combinação de elementos decorativos do barroco final e outros de traço neoclássico. Uma Assunção da Virgem, pintada por Alfredo Miguéis no século XX, preenche o espaço central do retábulo. 

A capela-mor foi reconstruida depois do bombardeamento, conseguindo manter o magnifico sacrário de prata, composto por camarim e urna.

A igreja é de nave única e está revestida por azulejos quinhentistas e seiscentistas, apenas quebrados na porta de entrada, a Sul e a Norte, pelos dois altares em talha barroca dourada e policroma. As estruturas retabulares, que revestem as paredes da capela-mor, são compostas por pares de colunas coríntias, a enquadrar diversas telas de temas sagrados, e forte entablamento rematado por elevados frontões.



Vídeo Convento Santa Clara


Produzido por Bruno Aguiar e João Gomes para o CET Patrimônio Cultural ministrado pela Universidade da Madeira